É o investimento realizado em títulos públicos e privados de renda fixa. Esse investimento pode ser direto, através da compra desses títulos, ou indireto, através de fundos de investimento. Quando você compra um título de renda fixa, empresta dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou o governo. Em troca, recebe juros até a data de vencimento desse título, quando ocorre o resgate. Esses juros são a remuneração que você recebe por emprestar seu dinheiro.

Na renda fixa você escolhe quanto vai investir, em quanto tempo vai retirar o dinheiro e qual retorno esperado. Você pode acertar a remuneração no momento da aplicação ou acompanhar as oscilações das taxas de juros e esperar o vencimento do título. Se você quer investir seu dinheiro, mas não gosta de correr muitos riscos, renda fixa é o produto ideal para você.

São títulos emitidos pelo governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para financiamento da dívida pública, e para projetos na área federal como educação, saúde, tecnologia, infraestrutura etc.
São títulos considerados de risco zero pelo mercado, porque você empresta dinheiro ao governo Federal e recebe o pagamento de juros.
Preço dos títulos públicos
O preço unitário, valor pelo qual são negociados, é a soma de todos os pagamentos futuros trazidos a valor presente pela taxa de desconto (taxa de negócio). Ou seja, taxa e preço são inversamente proporcionais. Se um sobe, o outro desce. A única exceção é a LFT, que dia a dia, é corrigida pela taxa Selic.

Tipos de títulos públicos
TÍTULOSRENTABILIDADECARACTERÍSTICAS
Tesouro – SELIC (LFT)SELICJuros + principal no vencimento
 Tesouro IPCA + Juros Semestrais (NTN-B)  IPCA + JurosJuros semestrais e Principal no vencimento
Tesouro IPCA + (NTN-B PRINCIPAL)IPCA + JurosJuros + principal no vencimento
Tesouro Prefixado com juros semestrais (NTN-F)Juros predefinidosJuros semestrais + principal no vencimento
Tesouro pré-fixado (LTN)Juros PredefinidosJuros + principal no vencimento


LFT
São títulos pós-fixados vinculados à taxa SELIC.

Indicados em que momentos:
Ciclo de alta das taxas de juros. Momento contracionista da economia. Geralmente após um longo período de alta dos índices de inflação.

LTN e NTNF
São títulos prefixados, ou seja, na data de aplicação é conhecida a rentabilidade da operação, caso os ativos sejam levados até o resgate.

Indicados em que momentos:
Fim do ciclo de alta, manutenção ou início de ciclo de baixa da taxa de juros.

NTN-B
São títulos indexados à inflação. Rendem juros mais a inflação medida pelo IPCA, indicador oficial do governo federal para medição da inflação. Os ganhos do investidor corresponderão aos juros que superarem o índice da inflação.

Indicados em que momentos:
Ciclo de medidas expansionistas que irão aumentar o consumo e, consequentemente, puxar os preços da economia como um todo. Também são indicados para períodos longos, para garantir ganho real da aplicação.

Como posso negociar? – Você pode negociar Títulos Públicos de duas maneiras. Uma delas é através do sistema do Tesouro Direto, o qual necessita prévio cadastro. Uma vez cadastrado, você poderá acessar o Tesouro Direto no próprio site ou através do XP Pro, plataforma de negociação da XP. Isto é possível porque a XP possui um canal direto com o Tesouro Direto, permitindo aos clientes comprar ou vender Títulos Públicos com rapidez, segurança e facilidade. Se preferir, você pode negociar Títulos Públicos no mercado secundário diretamente na nossa Plataforma de Renda Fixa.

Importante:
CRI, CRA, LF e Debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). CDB, LCA, LCI e LC contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante a devolução do principal investido, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil. Os riscos da operação com títulos de renda fixa estão na capacidade de o emissor (governo, em se tratando de títulos públicos; ou empresa, em se tratando de títulos privados) honrar a dívida (risco de crédito); na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo (risco de liquidez); e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores (risco de mercado). Em se tratando de título privado, o risco de mercado inclui, ainda, o chamado prêmio do risco, que é aquele inerente à capacidade de pagamento da emissora do título. Muito importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Para informações e dúvidas sobre produtos, contate seu assessor.